segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Florbela Espanca:os sentimentos expostos

[Este post integra a blogagem coletiva sobre Florbela Espanca proposta por Flor para hoje, 8 de dezembro, aniversário da grande poeta portuguesa. Descobri Florbela na adolescência, permanecendo desde então fiel à sua total falta de vergonha em expor, gritar, vociferar, uivar seus sentimentos ao mundo, inclusive os mais secretos e menos aceitos socialmente, em versos construídos com maestria. Creio que todos temos vontade de, vez ou outra, berrar ao mundo o quanto sofremos, o quanto nos sentimos sozinhos, abandonados, tristes, revoltados, inseguros, sem amor, auto-estima nem vontade de viver... Florbela diz isto por nós, com uma verdade e um despudor difíceis de alcançar. Seu grande tema é o amor irrealizado.]

Filha ilegítima, juntamente com seu irmão Apeles, de João Maria Espanca e da criada Antónia da Conceição Lobo, Florbela Espanca (1894 -1930) e seu irmão Apeles foram registrados como filhos de pai desconhecido. Contudo, ambos foram educados pelo pai e pela mulher dele, Antónia da Conceição Lobo. Estudante em Évora e acadêmica de Direito em Lisboa, Florbela ligou-se a movimentos literários e feministas, pulicando textos em revistas e jornais e dois excelentes volumes de poesias, Livro de Mágoas (1919) e Livro de Sóror Saudade (1923). As desilusões da vida amorosa — casou-se e se separou 3 vezes —, o intenso sofrimento devido à morte de seu adorado irmão Apeles, ao lado de sérios problemas de saúde conduziram a poeta a uma profunda depressão. Morreu aos 36 anos de idade, oficialmente de edema pulmonar. O pai a perfilhou só 19 anos após a morte dela, quando da inauguração de um busto de Florbela em Évora. Postumamente foram publicados outros livros da poeta, como Charneca em flor, além de diversos volumes de suas cartas.

Para ilustrar a poesia de Florbela Espanca, escolhi estes dois sonetos:

Anseios

Meu doido coração aonde vais,
No teu imenso anseio de liberdade?
Toma cautela com a realidade;
Meu pobre coração olha que cais!

Deixa-te estar quietinho! Não amais
A doce quietação da soledade?
Tuas lindas quimeras irreais,
Não valem o prazer duma saudade!

Tu chamas ao meu seio, negra prisão!
Ai, vê lá bem, ó doido coração,
Não te deslumbres o brilho do luar!

...Não 'stendas tuas asas para o longe...
Deixa-te estar quietinho, triste monge,
Na paz da tua cela,a soluçar...

Amar

Amar!Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui...além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar!Amar!E não amar ninguém!

Recordar?Esquecer?Indiferente!...
Prender ou desprender?É mal?É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

30 comentários:

Marli disse...

Muita paixão nas poesias de Florbela. Exprime emoção nas palavras.
Beijos.

Marli
Palavras Rabiscadas
http://mscamp.wordpress.com/

Flor ♥ disse...

Bom dia, meus queridos!

Chegamos ao grande dia da Blogagem em homenagem a Florbela Espanca.

Tanto ansiei por este dia, e eis que, por caprichos do acaso, desde sábado estou com problemas sérios de conexão, e hoje estou aqui graças ao PC de uma Lan House... Cheia de vontade de ler os seus posts, que tão carinhosamente estão sendo publicados, mas por hora impossibilitada... A presença do técnico está marcada para hoje às 16.00 h. Espero que tudo volte ao normal para que possa, além de me deliciar com as suas postagens, publicá-las no Interlúdio com Florbela, como uma pequena forma de agradecer pelo carinho de vocês... Conto com a compreensão de todos... Beijos!

Flor ♥

Anônimo disse...

Cara Janaína,
Obrigado pelas dicas.
O "Enredo e Tramas" está a cada dia melhor.
Abraço
Mariano

Georgia disse...

Janaina, a vida desta mulher foi sem sombra de dúvida a maior inspiradora dela mesma.

Um grande abraco

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Janaina...

Obrigada pelas tuas palavras no meu blogue, fiquei feliz de ficar a conhecer o teu... A tua homenagem está linda e maravilhosa... Amiga!...ADOREI!...

Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

Vivien Morgato : disse...

Não leio praticamente nada de poesia, mas gosto do pouco que conheco de Florbela, pela intensidade.
beijos.

Vivien Morgato : disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Muadiê disse...

que delícia, seu texto e Florbela.
também não sei porquê não está atualizando. beijo,
Martha

O POETA NA NOITE disse...

Cara Janaína,

Gosto muito de Florbela! Parabéns pela postagem!


Adriano Nunes.

Du disse...

"Florbela é a flor maior da poesia romântica,
é o sofrimento em versos de um soneto
é o amanhecer mais belo de um encanto
é aquela que se perdeu pra se encontrar."
(Lustato)


Beijos!

Mikasmi disse...

Amar é um dos meus poemas preferidos. Florbela é uma poetisa impar, ninguém como ela fala de amor e paixão.
Parabéns pela sua escolha.

Abraços

romério rômulo disse...

janaína:
falar da florbela espanca é fundamental.um abraço.
romério

disse...

Estou muito feliz de poder participar dessa iniciativa. Pouco conhecia de Florbela mas o pouco que conhecia me apaixonei, agora que muito conheço minha paixão maior ficou!
Parabéns pela participação exelente escolha seu espaço é lindo!

Ana P. disse...

Olá Janaína,
Adorei o que você escreveu na postagem sobre a vontade de berrar ao mundo nossos sentimentos ... Florbela o fez em alto estilo e muita poesia.

Salvei seu blog nos favoritos e voltarei sempre aqui ;) ... Acredito que nós temos muitos gostos em comum.

Prazer em te conhecer!
Beijos
Ana Paula

Juca disse...

Janaína, vim retribuir a visita, conhecer seu blog e deliciar-me com seu post sobre a Florbela!

Pelo que tenho lido, Florbela viveu intensamente cada momento, sem medo nem culpa de se expor!

Parabéns pela participação na blogagem da Florbela!

Boa semana!
Abraços!

PS: Depois voltarei com calma para apreciar seus textos!

Gaspar de Jesus disse...

Olá Janaína
Quero agradecer o seu simpático comentário no Arte Fotográfica.
Na realidade estas blogagens colectivas têm o condão de reunir as pessoas em torno de algo que as une.
Neste caso a grande Florbela foi o mote.
Gostei muito da sua contribuíção.
Voltarei para conhecer melhor este seu belissimo espaço de afectos.
bjs
Gaspar de Jesus

HelianaBastos disse...

belas escolhas...mas eu amo a obra da Florbela,sou bem suspeita pra falar...

=D

aeronauta disse...

Inesquecível Florbela! Bela homenagem a sua.

Aninha Pontes disse...

Janaína, não conhecia nada dela.
Mas com esta blogagem, já fiquei sabendo bastante coisa sobre uma mulher sensível como foi.
Pena que viveu tão pouco, tinha tanto que dizer através de sua poesia.
Um beijo minha querida, e obrigada pelo seu carinho.

Serena Flor disse...

Acho que todos nós blogueiros saímos ganhando ontem com esta blogagem coletiva em homenagem à Florbela não é mesmo?
Tudo ficou mais lindo e perfumado com o doce aroma dessa Flor...bela!
Adorei também ter participado desta grande união.
Um grande beijo e seu post ficou uma delícia de se ler!

EternaApaixonada disse...

*****

Vim lhe agradecer a visita e conhecer seu espaço. Adorei!!!
Linda homenagem à amada poetisa!
Também participei com meus blogs. Ontem devido congestionamento não consegui visitar os blogs participantes da Blogagem Coletiva, que foi um sucesso!
Tenha uma ótima semana!

Sintonias do Coração

ETERNOS SONHARES

Coisas da Helô ©


Beijos

Helô

*****

Urbano Leonel Sant' Anna disse...

Boa tarde! Sigo visitando os blogs participantes da blogagem coletiva.

Isto é o que eu chamo de uma corrente do bem! Como é que se poderia chamar uma iniciativa que enche de poesia a blogosfera? Aqui está uma excelente oportunidade para que todos conheçam um pouco mais sobre a genial Florbela Espanca.

Eis um trecho de "Ser poeta", de Florbela:

"Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!"

Parabéns a todos que estão participando!

Sensata Paranóia

Ana Tapadas disse...

Gostei muito do teu blogue!
Sensacional o post sobre Florbela.
BJ

Menina da Ilha disse...

Belas poesias. Passei um tempo com preguiça de encarar o computador. Só hoje estou lendo os blogs conhecidos. Deixei um recado lá no seu "O velho Machado Sabia". Muito bom. Machado é sempre atual. Bjos.

Janaina Amado disse...

Gente, participar desta blogagem coletiva da Flor e trocar idéias e emoções com tanta gente -- muitos dos quais se tornarão e-amigos, tenho certeza -- foi ÓTIMO! Obrigada por todos os comentários.

Carlos Magno disse...

Querida. obrigado a voce por sempre me visitar.
beijos

claudio rodrigues disse...

OI, sempre agradecido pela visita ao meu blog e pelos carinhosos bregueços que vc posta. Vejo que aqui há uma corrente em busca de poesia da mais alta qualidade. E Florbela é perfume e fogo, luz e trevas, um paradoxo. Só uma poesia assim diz desse contraditório sentimento: o amor.

Luci Lacey disse...

Janaina

Conhecia uma ou outra poesia de Florbela, nada da vida dela.

As blogagens sao enriquecedoras.

Seu post, tem um "que" gostoso de nostalgia.

Gostei muito, parabens.

Beijinhos e boa semana

Eduardo Serra Lopes disse...

tenho me dedicado a acompanhar os poetas de língua portuguesa e uso mt o meu blogue para fazer essa exaustiva divulgação. a florbela é uma das boas poetas portugueses mas está a vir no presente uma nova vaga de poetas em portugal mt boa.

um abraço, colega

. fina flor . disse...

ela realmente é demais, adoooro :o)

beijos, querida

MM.

>>> vi seu nome numa caixinha de um amigo e vim dar oi, gosto de quem tem amado no nome ;o)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails