sábado, 29 de novembro de 2008

Amor começa tarde

[Foto daqui]

[Aos meus jovens amigos apressados e aos meus maduros amigos desencantados]

Amor e seu tempo

Amor é privilégio de maduros
estendidos na mais estreita cama,
que se torna a mais larga e mais relvosa,
roçando, em cada poro, o céu do corpo.

É isto, amor: o ganho não previsto,
o prêmio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado,
que, decifrado, nada mais existe

valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio
minúsculo, vibrando no crepúsculo.

Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde.
[Carlos Drummond de Andrade. Alguma poesia]

15 comentários:

Maria Muadiê disse...

muito belo.

valter disse...

Janaína,
e não é que é mesmo?
O poeta é duca!
Beijo, menina

Casulo Temporário disse...

Janaína,
adorei sua visita ao Casulo e mais ainda vir aqui ao seu duplo espaço, entre poemas de Drummond, Rosalía e a sabedoria da criança que já é.
Também quero voltar!

Assim que sou disse...

Até acho que se aprende cedo,mas certamente melhora com o tempo, com a maturidade, com os caminhos percorridos e reconhecidos. É sempre surpresa, mas nunca completamente surpreendente.
Sabe que eu não conhecia esse poema de Drummond? Foi muito bom surpreender-me com ele por aqui.

bjs.Veronica

ADRIANO NUNES disse...

Cara janaína,

Obrigado pelo elogio! Aquele soneto demorou muito para surgir, para ter luz. Perdi as contas de quantas vezes o vi rasgado, sem chance de ser publicado. Sempre tinha algo que não me satisfazia. Quando a métrica e as rimas eram perfeitas, o sentido da estória de Ulisses e Circe não me agradava, e vice-versa. Agora, ele está feito, como sempre sonhei. Suor, neurônio e tempo.

p.s.: Lindo o seu blog!Amei tudo!
ABRAÇO FORTE!
ADRIANO NUNES, MACEIÓ/AL.

Cris disse...

Janaína...

Então faço parte de uma terceira categoria de amigos à quem você dedica esse poema : a de maduros apressados...rsrsr

beijão, querida.

Janaina Amado disse...

Maria Muadiê, Valter, Ana Cecília, Verônica, Cris (madura apressada - adorei esta!): bom que vocês gostaram do poema, dos menos conhecidos do grande Drummond.
Adriano, aquele seu soneto é excepcional. Vc. notou que também estou morando em Maceió?

Carlos Magno disse...

Janaina
obrigado pelas doces palavras.
parece que estamos amarrados pelos blogs. me vejo no seu Enredos e Tramas.
tambem me habituei a dar uma passadinha aqui.
bjs

ADRIANO NUNES disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Muadiê disse...

Amor é um pouco triste.

romério rômulo disse...

janaína:
amor é turbulência.padeço disso.
romério

claudio rodrigues disse...

Amor começa tarde. Quando a gente acha que sabe tudo dele, o danado escapa. Nos deixa na mão. Nos trata com desdém. Nascemos para correr a vida toda atrás dele. Eita.

Maria Muadiê disse...

Vi o link, que massa!
Jana, eu acho o amor maravilhoso, fundamental. Mas acho que o amor entre um casal tem uma melancolia de não ser paixão.
Entende?
Um beijo,
Martha

Janaina Amado disse...

Entendo.

Nydia Bonetti disse...

Adorei isso, Janaína. Tanto o poema, que eu não conhecia, quanto à dedicatória. :)

beijo.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails