sábado, 20 de setembro de 2008

Hilda Hilst

(A fotomontagem de Hilda é deste site)

[Vou começar a postar alguns escritores favoritos com Hilda Hilst (1930-2004). Hilda nunca poupou a si mesma nem a seus leitores de coisa alguma. Jamais fez concessões. Mergulhada na lucidez do desvario, expôs com impressionante coragem-- e linguagem ousada, única, que mistura prosa com poemas --, cada uma das suas e das nossas feridas, feiúras, secreções, desejos. Está tudo lá, na obra dela. Nem sempre consigo ler Hilda, às vezes não agüento sua crueza ou dificuldade. Mas retorno sempre a ela: sua literatura me explica.]


Se sou um galo
coma-me inteiro.
coma primeiro
meus pés
pois faiscaram
raspando terra e cascalho.
Coma-me
nero
torrando os bicos.
Ponha minhas asas
na esteira lisa
do teu conflito.
Deita-me despedaçcado
ao teu lado.
Coxas austeras
Pra tua goela.

___________________________________

Hostilizo meus ocos.
Desabo-os.
Sou um ogro.
Um corvo
Esbatido de socos.
Posso ser louco:
vivo dos sonhos
de um lobo.

____________________________________
Minha virilha, meu bolso.
Quem és? Pergunto
À planície de pêlos que se move.
Sou iracúndia sou gozo
Sou ligadura rijeza
Sou eu
Entre o verme pastoso
E a rutilante estrela que há em ti.

(Hilda Hilst, Estar Sendo.Ter Sido. S.Paulo; Nankin Editorial, 1992)

11 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

Valeu, Jana!
nos presentear com Hilda Hilst

Luci Lacey disse...

Janaina

Otimo, assim, vamos saboreando e sabendo mais de nossos escritores e poetas.

Beijinhos

Janaina Amado disse...

Maria e Lucy,
Esta é a idéia, mesmo - compartilhar escritores que me inspiram! Beijos.

valter ferraz disse...

Janaína,
sempre tive a Hilda Hilst na mais alta conta. Lí vários livros dela, recomendei alguns. De fato, de difícil compreensão alguns.É preciso mergulhar no universo particular do escritor. E nem sempre é possível, por isso parece às vezes hermético, incompreensível.
Mas trabalhava as palavras com apuro e esmero.
Bom domingo,
Beijo, menina

Anônimo disse...

Cara Janaína,
Parabéns pelo blog.
Estarei por aqui.
Quanto ao Bandeira, ficou meio ambíguo da forma que coloquei. É apenas porque o primeiro apontamento literário do Drummond homenageou os "apontamentos" que Bandeira fazia no Jornal do Comércio.
Saudações!
Mariano

Janaina Amado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Janaina Amado disse...

Valter, que bom termos mais isso em comum: a admiração pela Hilda. Por causa de um comentário seu eu mudei um verso de "Vincent", você viu?
Mariano, ótimo te ver por aqui!Agora entendi a referência ao Bandeira. Vamos nos lendo.

valter ferraz disse...

Menina,
não estou com essa bola toda, não.
Mas ficou legal a "pequena" mudança.
Beijo, querida

Maria Muadiê disse...

Janaína, passeando de blog em blog vim parar no seu. Gostei do seu espaço e fiquei assombrada com essas poesias de Hilda que eu não conhecia.
Um abraço,
Martha

Janaina Amado disse...

Maria Muadiê,
Enfrente a onça, isso é, a Hilda. Você sai ferida e deslumbrada da poesia dela.
Fui ao seu blog, gostei também. Mas foi rapidinho, tenho de voltar, pra te conhecer melhor e àquele mundo de poetas mulheres que te cercam! Abraço.

Felicidade Clandestina disse...

adoro Hilda!!!!

grande mulher e escritora!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails